top of page
  • Foto do escritorNatália Neira

Inauguração do Site e Infotoxicação: o que essas duas coisas tem a ver?

Atualizado: 24 de ago. de 2021

Sejam todos (as) muito bem vindos (as)!

Este site tem o intuito inicial de ser um "cartão de visitas" para que minha rede de contatos possa indicar meu trabalho e, assim, atuais e futuros clientes possam acessar seu conteúdo. Há um pouco de rebeldia nesta atitude. Recentemente, desativei minha conta do Instagram. Pois é, me dei esse luxo. A quantidade de informação que recebia, constantemente, me deixava sobrecarregada e ansiosa, cada vez mais. É aí que entra o conceito do título do post: Infotoxicação.

 

Infotoxicação é uma condição na qual ficamos sobrecarregados com os conteúdos disponíveis no mundo digital. Nosso cérebro não dá conta de tanta informação. Com o tempo, podemos acabar sofrendo de crises emocionais, apatia e a relevância dos dados na memória pode se tornar confusa e prejudicar a tomada de decisões e a capacidade analítica. Isso porque a informação tem que ser metabolizada para se tornar conhecimento, requer discernimento para identificar o mundo real e o falso, e com esse excesso desenvolvemos, o que foi identificado pelo psicólogo britânico David Lewis como síndrome da fadiga informativa.

"Não estamos apenas lutando contra uma epidemia; estamos lutando contra uma infodemia” - frase do diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, dita na Conferência de Segurança de Munique, em fevereiro de 2020.

A infodemia é um neologismo para uma superabundância de informações - algumas precisas e outras não - que dificultam as pessoas a encontrarem orientação e fontes confiáveis quando precisam.

Muitas vezes, a diferença entre o remédio e o veneno está na dose! É necessário que a gente encontre um equilíbrio e aprenda a dosar essa quantidade de informação, caso contrário, podemos acabar “contraindo” infotoxicação. Para assimilarmos as informações de maneira saudável é preciso adotar alguns hábitos "de segurança" (deixei algumas matérias, no final desta publicação que dão algumas dicas interessantes).

 

Antes que atirem a primeira pedra, não estou criticando quem utiliza o Instagram tanto como ferramenta de trabalho quanto de interação social. EU, particularmente, sempre fui um pouco avessa. Percebo muita ostentação, falsidade e excesso de informação, o que me deixava angustiada e me afastava de uma conexão mais próxima comigo mesma e com quem, realmente, importava.

Enfim, isso pode ser momentâneo. Por enquanto, não sinto a menor falta. Contudo, por outro lado, sei da importância desses meios de comunicação para compartilhar conhecimento e reflexões de qualidade e para ser uma "vitrine" do meu trabalho.

Então, finalmente, finalizei meu site. Aqui, encontrarão informações sobre minha formação e experiência. Além de receberem indicações de leituras, filmes e reflexões.

Fiquem à vontade para comentar, sugerir e entrar em contato!


Abaixo, fontes que utilizei para essa publicação, elas contêm algumas dicas de como lidar com a Infotoxicação (e Infodemia):




87 visualizações2 comentários

2 Comments


Gabrielle Chaves
Gabrielle Chaves
Sep 02, 2021

Recentemente eu também desativei o instagram, como já fiz algumas vezes e, nenhuma delas me arrependi. é libertador mesmo. Confesso que sempre acabo voltando por conta do conteúdo de páginas que eu sigo e acabo sabendo de curso, palestras etc que estão rolando por aí, mas só de passar um período longe, já dá um certo alívio.


Parabéns pelo site e pelo conteúdo! Adorei e irei acompanhar!!

Like

Alexandre Curvello
Alexandre Curvello
Aug 23, 2021

Perfeito, to dentro para consumir conteúdo inteligente.

Like
bottom of page